Nosso Blog

Descubra sobre sua Marca

Digital influencer deve fazer o registro de marca? Leia e descubra!

Digital influencer deve fazer o registro de marca? Leia e descubra!

Por trabalharem com a internet, muitos digitais influencers - especialmente os iniciantes - acreditam que basta uma conta verificada no Instagram para que sua proteção na internet esteja garantida - o que é um grande erro! O selo de verificação tem, sim, sua relevância, mas garantir proteção perante à lei também é indispensável.

Se você já trabalha com isso, sabe que o número de perfis famosos, canais no youtube e o consumo de conteúdo de blogs cresce em ritmo acelerado. Apesar de muitos iniciarem sem grandes pretensões comerciais, boa parte dos influenciadores desejam uma carreira nesse novo ramo que mudou a forma de fazer marketing na internet. 

Se esse é o seu caso, entenda abaixo por que o registro de marca é importante para que você consiga ganhar espaço dentro e fora das redes sociais. 

 

Os influencers como marcas

Mesmo que você use o seu nome para fazer parcerias, publiposts e negócios com a sua conta, é preciso entender que você passa a ser uma espécie de “empresa”. Ao trabalhar no ambiente digital, você se torna a sua marca. Não à toa, muitos influencers acabam abrindo marcas próprias depois de alcançarem números altos que seguidores. 

Os maiores exemplos disso são mulheres como Bianca Andrade (também conhecida como Boca Rosa) e Bruna Tavares que iniciaram suas carreira como blogueiras de maquiagem e hoje têm suas próprias empresas que fabricam bases, corretivos, batons e todas as variações de produtos desse segmento.

Essas influenciadoras, inclusive, servem de inspiração e referência para diversas pessoas que querem investir nessa carreira. Há também aqueles que querem apenas investir em uma cópia na tentativa de alcançarem o mesmo sucesso que a original - e é aí que está o perigo. 

 

Por que o registro de marca é indispensável 

Ao decidir investir na vida de influenciador digital, você provavelmente precisou construir sua personalidade e estilo, o tipo de conteúdo que ia produzir e, claro, precisou construir sua reputação - afinal, é isso que faz com que o público e as empresas tenham uma boa percepção de você. 

Para garantir que o seu nome e tudo que você construiu graças a ele estejam protegidos da concorrência desleal e evitar possíveis brigas na justiça, é fundamental optar pelo registro de marca no INPI, órgão que atua em âmbito nacional e garante que sua marca seja única e exclusiva, de acordo com a Lei da Propriedade Industrial.

Além de garantir essa proteção, o certificado do INPI também traz segurança para parcerias e publicidade, já que, além de demonstrar confiança e profissionalismo, ter uma marca registrada se torna um grande atrativo para as empresas. Por isso, o ideal é solicitar o registro logo no início do seu “negócio”.

 

Como fazer o registro de marca 

Para registrar seu nome, seu canal no YouTube ou seu blog, é preciso fazer a solicitação para o INPI, órgão federal que irá analisar o seu pedido. Caso ele identifique que todos os requisitos da legislação foram atendidos, ele concederá o registro, que tem validade de 10 anos (prorrogáveis). 

Antes de dar entrada no pedido, você precisará realizar uma busca prévia para saber se sua “marca” está disponível para registro ou se já existe outra igual ou semelhante. Também será necessário entender em qual classificação o seu negócio será registrado, especialmente se você tiver a intenção de comercializar produtos. 

Depois de enviar a solicitação ao INPI, ainda será necessário enfrentar diversas etapas burocráticas, o que faz com que o processo dure meses. Para aumentar as chances de ter um pedido aprovado, muitos influencers contam com a ajuda de empresas especializadas como a Move On, por exemplo, que fica responsável por todos os trâmites necessários. Clique e entre em contato.